Como construir diferenciais na marca?

 
 

Construir e fazer a gestão de uma marca forte é tão fundamental, que as empresas que queiram sobreviver no mercado precisam não somente entender, mas utilizar boas ferramentas para sua gestão.

Com isso, o Brand Equity vem ganhando evidência como uma das melhores ferramentas para manter o diferencial competitivo das marcas. Ele foi pensado para ajudar o gestor na avaliação de desempenho, para a marca sempre siga o curso desejado.

O Brand Equity é um conceito que surgiu na década de 1980 como ferramenta de gestão de marca e hoje se transformou num importante ativo intangível que representa valor psicológico e financeiro para as empresas. É o valor percebido agregado pela marca a determinado produto ou serviço.

 
 
 

A ideia central do branding é colocar marca nos produtos. Isso acontece ao ensinar aos consumidores ‘quem’ é esse produto ou serviço. Um exemplo perfeito para esse caso é o da Apple, que precisou ensinar os consumidores que enquanto o mundo criava smartphones, eles criaram o iPhone.

Sua aplicação pode acontecer em qualquer mercado onde o consumidor tenha opções. Portanto, para que as estratégias de branding tenham sucesso, os consumidores precisam compreender as diferenças existentes entre marcas de uma mesma categoria de produto ou serviço.

Quando essas diferenças são percebidas pelos consumidores, é criado uma cadeia de valores, ou o Brand Equity.

 
 
 
IMG_4164.JPG
 
 

Para construir o Brand Equity, as empresas precisam criar estruturas corretas de conhecimento da marca para o público correto. É impossível criar valor quando o público a quem o conhecimento de marca foi comunicado não é certo. A comunicação efetiva depende de como os consumidores receberão a mensagem e reagirão frente à marca. Quando a resposta for diferenciada, os valores foram bem posicionados na mente dos consumidores, pois o fator marca fez o produto ou serviço distinto dos demais.

Existem muitas formas de se construir o Brand Equity, mas apenas criar um logotipo e uma papelaria, mesmo que seja com um bom design, não representa a grandeza das associações que podem ser feitas para fazer a marca ainda mais diferenciada no mercado.

 
 
 
Em tese, a marca possui uma alma própria. Respeitar essa vibe é o melhor caminho para iniciar um processo de criação de valores onde a marca é a protagonista. E aí, a sua marca já conseguiu construir uma cadeia de valores? Está pensando em como começar esse processo? Seja qual for o seu caso, conta pra gente… hello@cesarebrand.com
 
 
BrandingGustavo Pereira